Quais os riscos de comprar imóvel em leilão? - Advogados em São Paulo

Quais os riscos de comprar imóvel em leilão?

O risco de comprar imóvel em leilão dependende do tipo de leião que o investidor irá participar. Se participar de leilões judiciais ou extrajudiciais, o lucro é maior, porém com um risco maior. Caso participe em um leilão de venda direta, o lucro é menor mas praticamente sem risco algum. Por isso é importante se aconselhar com pessoas do mercado imobiliário, corretores e principalmente ser assessorado por um advogado especialista em leilão de imóveis.

Quais os riscos de comprar imóvel em leilão?

Para que o risco de comprar em leilão seja reduzido, é necessário antes de mais nada, verificar algumas etapas:

  1. Conhecer a região onde pretende investir.
  2. Se informar sobre os preços dos imóveis praticados na região.
  3. Verificar os custos estimados após a arrematação do imóvel.
  4. Fazer um cálculo estimado do seu suposto lucro, caso tudo occorra da forma planejada.

Todas as etapas acima representam apenas o início da preparação para o leilão. Pois após a escolha do imóvel, será necessário verificar se não há pendências nem nulidades que poderão transformar a sua escolha de investimento em um problema.

Para cada tipo de leilão de imóvel, existem documentos que devem ser minuciosamente analisados. E como já foi dito anteriormente, é aconselhável a a contratação de um advogado especialista em leilão para evitar aborrecimentos.

Riscos no leilão de Venda Direta

No leilão de venda direta por proprietários, as regras da venda serão as de qualquer transação comercial com imóveis. O interessado deve acautelar-se quanto a possíveis fraudes contra credores e outros vícios inerentes a qualquer transação. Desta forma. faz-se necessário a consulta aos órgãos públicos para verificar todas as certidões negativas, tanto do proprietário quanto dos vendedores.

Riscos nos leilão de venda direta realizado por Bancos

No leilão de venda direta realizado por bancos, incorporadoras ou construtoras, a cautela precisa ser redobrada a depender da origem desses imóveis.

Tal cautela é necessária caso a aquisição do imóvel pelo vendedor tiver ocorrido em razão da consolidação da propriedade em seu nome. Nesta hipótese os cuidados devem ser relacionados aos débitos existentes sobre o imóvel. Além disso, deve-se verificar à existência ou não de ações judiciais promovidas pelos antigos proprietários em face do vendedor.

Ademais, em alguns casos o imóvel ainda estará sendo ocupado pelo antigo proprietário. Isso pode acarretar a necessidade de contratar um advogado para ajuizar as ações necessárias, caso o arrematante não queira ou não consiga negociar a desocupação do imóvel pessoalmente.

Riscos no leilão Judicial

No leilão judicial de imóvel os cuidados serão relacionados a:

  1. Dívidas do imóvel a ser arrematado (hipoteca, condomínio e IPTU).
  2. Dívidas dos devedores (pensão alimentícia e dívidas trabalhistas).
  3. Nulidades do processo que está originando o leilão.
  4. Irregularidades na certidão imobiliária do imóvel.
  5. Atual ocupação do imóvel a ser arrematado.
  6. Evitar lance que pode ser considerado vil.

Portanto, os riscos podem estar em comprar um imóvel e não conseguir registrá-lo em seu nome, ou ainda ter uma ação anulatória que pode levar anos e prejudicar qualquer tentativa de venda.

Logo, independentemente do tipo de imóvel que deseja comprar, sempre aconselhamos que contrate um advogado de sua confiança e com experiência nas peculiaridades do mercado de leilão, para tentar evitar problemas futuros, e consequentemente, aumentar a lucratividade das operações a serem realizadas.